domingo, 28 de março de 2010

Energia Solar, sabe para que serve?

Ultimamente não se fala noutra coisa. As energias renováveis vieram para ficar e há cada vez mais incentivos ao investimento particular neste domínio. Claro que, dos mega-parques de painéis fotovoltaicos para a produção de energia eléctrica, como o de Moura, até ao telhado da nossa casa vai uma grande distância. Afinal vale a pena ou não?



Primeiro convém definir muito bem o que pretende. Infelizmente diminuir a sua pegada ecológica e contribuir para um mundo mais verde esbarra aqui com o custo dos equipamentos que estão longe de ser baratos, há que fazer bem as contas.



Há dois tipos de painéis, fotovoltaicos (para produzir electricidade) e térmicos (para aquecimento da água). Quer ter electricidade, água quente, ambos? Mora numa vivenda ou num prédio? Estes factores vão influenciar a escolha dos equipamentos e os respectivos custos. É conveniente que a eficiência energética que vai conseguir compense o investimento.





Painéis solares térmicos
Os painéis solares térmicos são os mais comuns, servem principalmente para aquecer a água dos banhos mas também como apoio a piscinas ou ao aquecimento central (ainda que, como os painéis solares no Inverno têm menos rendimento, sozinhos não possam garantir o aquecimento central e servem apenas para dar algum apoio ao sistema principal que será uma caldeira a gás ou gasóleo, por exemplo. "Mais de metade dos gastos de energia de uma família é com o aquecimento de água, pelo que facilmente há aqui margem para diminuir a factura mensal do gás, gasóleo ou electricidade. Um sistema correctamente dimensionado permite poupar 70% da energia necessária para aquecer a água que usamos em casa anualmente", afirma o especialista da instaladora Energenium Nuno Fernandes.

Como funciona? A energia solar aquece os painéis que por sua vez transferem a temperatura para a água que está num depósito. Este pode ficar no exterior (mais barato) ou no interior da casa (mais caro) dependendo do espaço ou de uma opção estética. Continua a ter o sistema normal de abastecimento com gás mas apenas como apoio ao solar em caso de necessidade. Em média vai usá-lo apenas 20% do tempo.

Quanto custa? Os painéis com depósitos exteriores de 180 ou de 300 litros (para famílias de duas a três ou de quatro a sete pessoas respectivamente) podem ir de €2500 a €4000. Os equipamentos com depósitos interiores podem variar entre os €3000 e os €5000 para volumes semelhantes.



Painéis Fotovoltaicos


Até há pouco tempo instalar painéis fotovoltaicos para produzir electricidade ficava tão caro que a sua utilização por particulares era praticamente incomportável. Ainda é assim para quem queira ter completa autonomia do fornecimento da EDP. "Cem mil euros é a quantia mínima a investir para ter uma casa com electricidade apenas fornecida por painéis solares, ora nunca pagaríamos esta quantia à EDP durante uma vida inteira de contrato pelo que nunca é economicamente vantajoso", explica o responsável da instaladora de painéis fotovoltaicos Movitron, José Tomé.

Como funciona? Os painéis fotovoltaicos convertem a energia do sol em energia eléctrica que é armazenada em baterias e usada quando for preciso. Se tiver uma quinta de férias isolada num monte pode valer a pena fazer os cálculos entre o que vai ter de pagar para a rede eléctrica chegar à sua casa e o custo dos painéis. Em todo o caso, "este tipo de instalações serão sempre para consumos diminutos: luz, televisão, frigorífico e pouco mais".

Quando custa? Pode contar com um custo entre os dois mil euros (instalação mínima para acender as luzes) e os 20 mil euros (que até pode incluir uma bomba solar para tirar água).



Já ouviu falar da microgeração?


Situação diferente da autonomia eléctrica é a das instalações fotovoltaicas com o objectivo de vender a electricidade produzida à EDP. Com os actuais incentivos estatais pode valer a pena.

O que é? Basicamente trata-se de produzir energia eléctrica não para uso próprio mas para venda à rede pública. Continua a ter o fornecimento da EDP para ter luz em casa, mas todos os meses é feito o acerto de contas entre o que vende e o que consome.

Quanto custa? A instalação destes painéis requer menos equipamento pelo que o custo é mais acessível. Entre 20 e 25 mil euros em média. O governo já veio regulamentar e dar incentivos a esta prática, estabelecendo a potência máxima que é possível instalar (3,6kW) e o preço a pagar (65 cêntimos por quilowatt/hora em instalações de 30 m2 nos próximos cinco anos). Fazendo as contas, é possível ter retorno do investimento em seis ou sete anos, desde que haja boa exposição solar.

Depois, cinco em cinco anos, e à medida que for aumentando o número de pessoas a vender energia à rede, o valor pago pela EDP tenderá a baixar (está estabelecido na lei que as tarifas descem 5% sempre que estiverem instalados no país 10 megawatt de sistemas microprodutores), mantendo-se ainda assim com valores atractivos para quem já tenha amortizado o equipamento. Basicamente isto quer dizer que esta aposta é mais rentável para quem investir agora e nos tempos mais próximos.

Vivendas e condomínios são o tipo de casa ideal para aplicar estes painéis mas nada impede que os prédios se candidatem desde que tenham condições técnicas, avaliadas por profissionais.

Quanto posso ganhar? A potência do seu equipamento (lembre-se que o máximo é 3,6KW) e o sol que apanha é que vão determinar a quantidade de electricidade que produz. O valor de 65 cêntimos é seis vezes superior ao que pagamos actualmente à EDP, pelo que uma família com um consumo de €40 mensal, numa latitude média (na região da grande Lisboa e Sul) poderia ter ganhos de 200 a 250 euros por mês. Neste caso, em cerca de oito anos amortizaria o equipamento. A partir daí estaria a fazer lucro.

Site útil: www.renovaveisnahora.pt

1 comentário:

Anónimo disse...

POR ACASO ISTO EXPLICA PARA QUE QUE SERVE A ENERGIA SOLAR???? POUPEM-ME